O segmento populacional que mais cresce é o de pessoas com 85 anos ou mais. Com as pessoas vivendo mais, é preciso determinar como o exercício e a atividade física podem contribuir para a melhora da saúde, capacidade funcional, qualidade de vida e independência nesta população.

Por ser um método de condicionamento que trabalha todas as capacidades físicas – força, equilíbrio, resistência, coordenação, velocidade e flexibilidade – o Treinamento Funcional aparece como uma das alternativas mais eficientes para se trabalhar com a população idosa.

Dentre os inúmeros benefícios que o Treinamento Funcional pode trazer à população da terceira idade, podemos destacar o ganho da massa e força muscular; aumento da densidade óssea e do fortalecimento articular; melhora da estabilidade postural, reduzindo o risco de lesões, quedas e fraturas associadas; auxílio na flexibilidade e amplitude de movimento; e incremento do equilíbrio e da coordenação e da capacidade de reação.

Além do mais, a prática regular do Treinamento Funcional fornece vários benefícios psicológicos relacionados à preservação das funções cognitivas, melhora dos sintomas de depressão e comportamento, e um aumento no conceito de controle pessoal, capacidade funcional, independência física e auto-eficácia, resultando, assim, numa elevação da auto-estima e do bem-estar.

Referência bibliográfica: Mazzeo et al (1998) – Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde.

Siga o Tiago no Twitter
Converse com o Tiago no Facebook – curta a página